World Socialist Web Site www.wsws.org

WSWS : Portuguese

Diante de 200 mortos assessores de Lula fazem gestos pornográficos

Por M. Ybarra
20 de julio de 2007

Utilice esta versión para imprimir | Enviar por email | Comunicar-se com o autor

Hoje já diversos analistas, tanto nacionais como internacionais, são unânimes em reconhecer que novamente crise profunda envolve o governo Lula: amplos setores dos grandes centros urbanos, das diversas classes sociais, se afastam e rompem com o governo. Mesmo setores da burguesia não diretamente beneficiados pelo governo o abandonam. Quanto à juventude e trabalhadores urbanos, sem dúvida, dia a dia, afastam-se e rompem mais e mais com o governo incompetente, corrupto, repressor e criminoso de Lula.

As recentes vaias no estádio do Maracanã, por ocasião da abertura dos jogos Pan Americanos, foram simbolicamente importantes, e devem se repetir, a cada vez que o presidente aparecer em grandes concentrações urbanas. Assim é que, desta vez, no caso do último acidente aéreo, para simular solidariedade, Lula pensou em ir ao local da tragédia, mas, foi aconselhado a não comparecer, temendo-se a reação popular de repúdio.

As denúncias sucessivas e infindáveis de corrupção se repetem. Após a crise do mensalão em 2005-2006, agora a crise no Senado continua, com o seu presidente, Renan Calheiros, acusado de corrupção. Sua ex-amante recebera grandes pagamentos mensais em dinheiro da construtora Mendes Jr. As investigações prometem se arrastar até pelo menos setembro. Certamente, a tática de Renan, ao não renunciar, era esperar que outra crise maior viesse a cobrir o noticiário, fazendo com que ele possa sair do centro do noticiário e escapar sem punição.

De fato, o novo escândalo, desta vez trágico, apareceu, com a queda do avião da TAM, desembocando na morte de 200 pessoas. Desde o acidente do avião da Gol, há menos de um ano, que matou 154 pessoas, havia já uma crise no espaço aéreo e aeroportos brasileiros. Os controladores aéreos denunciaram as péssimas condições de trabalho e praticamente alertavam que novo acidente podia ocorrer a qualquer momento. Suas lideranças chegaram a serem presas.

Infelizmente eles tinham razão, todo o sistema aéreo brasileiro parece falido. A crise permanente nos aeroportos, com esperas e atrasos de horas e horas é apenas um aspecto de um sistema aéreo totalmente desorganizado onde aeronáutica, organismos civis, controladores aéreos, empreiteiras e políticos se chocam e se digladiam atrás de interesses contraditórios. A repetição de fatos como a queda do avião da companhia Gol, evidentemente, era totalmente previsível e, de fato, ocorreu, de maneira mais trágica: caiu mais um avião, agora, não mais na selva, mas sim, no próprio centro da cidade de São Paulo.

Na queda do avião Airbus da TAM, morreram 200 pessoas, entre passageiros e pessoas que estavam na região. Dezenas de imóveis da região foram atingidos, prédios e casas pegaram fogo e muitas construções foram destruídas ou inutilizadas totalmente.

Diante dos fatos alarmantes, diante do choque e indignação provocado pelas notícias da TV e dos jornais, neste caso, como fizera nos outros sucessivos casos de escândalo que atingiram o governo Lula,.toda a preocupação maior do presidente e do governo era mostrar que eles não sabiam as causas e, sobretudo, que eles não tinham nada a ver com isso.

“Relaxa e goza”

No caso da corrupção do mensalão, no caso do caseiro cuja conta bancária foi violada pelo ministro da Economia, Palocci, no caso das malas de dinheiro que eram descobertas com membros do governo ou políticos, no caso dos dólares na cueca de dirigente do PT, sempre a preocupação maior do governo era mostrar que Lula e seus assessores, nada sabiam e nada tinham a ver com isso. Sempre outros eram os misteriosos culpados, em geral, nunca detectados.

Rompendo qualquer padrão de ética pública, quando cobrados sobre os escândalos, os políticos em torno de Lula, mesmo ministros de Estado, chegavam, muitas vezes, ao sarcasmo e mesmo até à obscenidade. Já no caso da crise aérea, diante do sucessivo atraso dos vôos e desespero dos passageiros que, às vezes, eram obrigados a dormir nos aeroportos, a Ministra do turismo, Marta Suplicy, ironicamente, recomendou: “relaxa e goza”.

No caso do acidente da TAM, o comportamento irresponsável e obsceno foi pior. Como se viu, Marco Aurélio Garcia, assessor especial de relações internacionais da presidência da república, foi flagrado pelas câmeras comemorando o suposto defeito mecânico do avião da TAM e fazendo com as mãos, para os críticos do governo, os gestos característicos de “fodam-se”, enquanto outros gestos similarmente grotescos foram feitos por Bruno Gaspar, outro assessor da presidência:

Repórter da Globo gravou vídeo com os gestos obscenos dos assessores de Lula. Como se noticiou na Folha on line

“No momento em que a reportagem {da TV Globo} ia ao ar, às 20h17, Garcia -assessor especial para assuntos internacionais da Presidência- fez por três vezes o gesto em que se bate a palma da mão estendida contra a outra mão, fechada. Ao seu lado, o assessor Bruno Gaspar foi mais efusivo, esticando os dois braços para a frente e depois trazendo os cotovelos em direção ao quadril. A imagem foi transmitida no Jornal da Globo”.

A obscenidade e caráter grotesco dessas cenas mostram que já estamos no interior de um governo cuja única preocupação é se perpetuar no poder continuando a usufruir da corrupção generalizada, e o que é pior: um governo que é capaz de realizar qualquer ato necessário para permanecer no poder, ainda que, para isso, mate centenas de pessoas. Como Bush no Iraque e nas catástrofes que têm atingido os EUA, Lula permanece indiferente, e seus assessores comemoram se conseguem por a culpa em qualquer outro.

Como o governo Bush se comportou no furacão Katrina e no Iraque, permitindo de forma irresponsável a morte de civis e a destruição de prédios e cidades, assim faz o governo Lula, invadindo o Haiti, atacando fábricas ocupadas, fechando os olhos para a corrupção generalizada, e permitindo que a crise aérea chegue já a matar mais de 350 pessoas em menos de um ano, deixando ainda milhares esperando em aeroportos por horas e horas. A vergonha é maior, para nós brasileiro. Pelo menos os assessores de Bush não foram flagrados mandando os americanos foderem-se.

“o coração partido”

Na sexta-feira, dia 20, finalmente, Lula falou à nação sobre o episódio da TAM. As cinco medidas anunciadas por Lula, junto com as condolências e a declaração hipócrita de estar “com o coração partido”, dificilmente podem ser suficientes para encobrir os gestos obscenos de Marco Aurélio Garcia, assim como todos os novos sinais de corrupção que estão aparecendo a partir do acidente.

As medidas propostas por Lula são ineficazes e demagógicas. Como sempre, “ainda é cedo para saber as causas, mas tudo será investigado com o maior rigor” disse ele. Uma das medidas anunciadas por Lula, construir um novo aeroporto, já deve estar sendo pensada como mais uma grande oportunidade para uma série de empreiteiras e políticos de ganhar muito dinheiro e ampliar a corrupção já existente.

As medidas tomadas por Lula, assim como os gestos obscenos de seus assessores, tornam mais e mais evidente que a crise aérea, agora agravada com este último acidente, é inseparável da crise geral que toma conta de todas as instituições no Brasil e a escala mundial.

Agora, mais uma vez, aparecem escancaradas as ligações dos desastres e da miséria da maior parte da população com o lucro das empresas, neste caso, sobretudo, com o lucro das companhias aéreas e das empreiteiras, que compram os políticos, boa parte do congresso nacional, do judiciário e da polícia. O senador Roriz, por exemplo, que há pouco renunciou para escapar à cassação, não por acaso, dividiu o dinheiro corrupto justamente no escritório de um dos donos da Gol.-uma companhia aérea que cresceu em alguns anos de forma gigantesca, para não dizer quase milagrosa.

A reforma inacabada da pista do aeroporto de Congonhas, que custou 19 milhões, e permaneceu sem as ranhuras (groovings) de escoamento da água, pode ter sido uma das causas do acidente. No mesmo dia chuvoso do acidente, outros aviões derraparam na pista, conseguindo parar somente encima da grama. Enquanto a pista permanecia inacabada, foram feitas reformas milionárias na parte comercial de Congonhas, nas lojas, bares e salas de estar, ou seja, na parte shopping, reforma, esta sim, concluída pelas empreiteiras compradoras de políticos, como Roriz e Renan Calheiros.

Quase simultaneamente ao anuncio do acidente, da morte de 200 pessoas e do “fodam-se” recomendado por Marco Aurélio, era anunciado o aumento do Bolsa Família, sustentáculo do governo Lula. Como se leu na imprensa desta semana:

“O Diário Oficial desta terça-feira publica um decreto reajustando os benefícios do programa Bolsa Família motor da popularidade de Lula. O aumento foi, em média, de 18,25%. A partir de agosto, o maior benefício, pago às famílias “extremamente pobres” -renda per capita de R$ 60—passa de R$ 95 para R$ 112.”

Para Lula, para Marco Aurélio, como para Bush e para todos os políticos burgueses, a questão é ficar no poder a qualquer custo obedecendo à lógica contraditória e destrutiva do capital. Na verdade, o acidente do avião da TAM, como o do avião da Gol, podiam ser evitados, como a maioria das catástrofes sucessivas que ocorrem no Brasil e no mundo (tais como o Katrina nos EUA, a guerra no Iraque e a invasão do Haiti), todos esses acontecimentos, porém, são parte da lógica contraditória do capital destruindo forças produtivas para subsistir.

Na lógica do capital, as catástrofes, as guerras e as mortes aparecem como contra-tendências salvadoras do capitalismo agonizante, medidas que garantem a continuidade da rotatividade do capital e da valorização do valor. Somente uma nova sociedade socialista, construída a escala mundial pode salvar-nos da barbárie que avança dia a dia a em todos os países, em todas as cidades e que cada vez mais se apresenta em cada esquina, diante de nós.

 



Copyright 1998-2017
World Socialist Web Site
All rights reserved